OUTROS

Art Sullivan Morreu

Cantor descreveu Portugal como a sua “amante”

O cantor Belga era especialmente admirado em Portugal, durante os anos 70. Faleceu aos 69 anos…
Marc Van Lidth de Jeude, o nome verdadeiro do cantor, ficou conhecido por êxitos como “Petite fille aux yeux bleus”, “Petite Demoiselle”, “Ensemble” e “Donne Donne moi” e criou uma grande legião de fãs em Portugal, país que descrevia como a sua “amante”.

O cantor nutria um carinho especial por Portugal e atuou em diversos palcos nacionais, a última vez no verão passado nas Caldas da Rainha.
Art Sullivan morreu na noite de quinta-feira para sexta-feira, vítima de um cancro no pâncreas. A sua carreira conheceu vários pontos altos durante os anos 70, tendo dominado os topes e a rádio em Portugal nessa época, atuando no nosso país em diversas ocasiões.
De seu nome Marc Liénart Van Lidth de Jeude, nasceu a 22 de novembro de 1950, e escreveu canções como “Petite Fille aux Yeux Bleus”, “Ensemble”, “Petire Demoiselle” e “Adieu Sois Heureuse” que se tornaram temas de grande popularidade. Ainda nos anos 70 deixou a Bélgica, de onde era natural, para viver nos Estados Unidos da América, onde foi produtor de programas de televisão, segundo o jornal belga “Le Soir”.
Regressou mais tarde, tendo produzidos documentários sobre famílias reais de vários países. A sua carreira conheceu novo alento com o advento do CD, quando os seus êxitos foram reeditados. Em 2020 iria celebrar 45 anos de carreira com dez grandes espectáculos.

Em 2014 foi publicada uma sua biografia autorizada, “Drôle de Vie en Chansons”, pela editora La Boite à Pandore. Numa das suas muitas entrevistas para a imprensa portuguesa, à revista VIP, terá dito: “quando morrer, quero que as minhas cinzas sejam deitadas ao mar, em Cascais. Adoro Portugal, venho cá várias vezes por ano. Não é muito politicamente correto, mas costumo dizer que a Bélgica é o meu amor e Portugal a minha amante”.
A sua mãe era da família Udekem d’Acoz, tal como a Rainha Mathilde da Bélgica. Esteve uma última vez em Portugal em agosto deste ano, tendo atuado nas Caldas na Rainha, no âmbito da Expotur. Em 2007 teve dois concertos marcados nos Coliseus do Porto e de Lisboa que seriam cancelados por “motivos de saúde”, informou então a produtora Ritmos e Blues. Em 2010, quando completou 35 anos de carreira, realizou uma série de espectáculos em Portugal, acompanhado por orquestra, tendo reeditado em CD uma colectânea dos seus maiores êxitos exclusivamente para o mercado português e intitulada, precisamente, “Art Sullivan – 35 anos em Portugal” .

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *